Postagens

Pesquisar este blog

Carregando...

17 novembro, 2010

Lagartos



Lagartos


Os lagartos ou sáurios (do latim científico Sauria, chamados ainda de Lacertilia) constituem uma vasta sub-ordem de répteis escamados. Se diferenciam das serpentes (suas parentes próximas) devido à presença de quatro patas, pálpebras nos olhos, e ouvidos externos. Apesar disso muitas espécies de lagartos, como os licranços perderam suas patas durante a evolução, se tornando externamente semelhantes às serpentes. Semelhantemente também existem lagartos sem pálpebras (da família Gekkonidae) ou sem ouvidos.

Existem em diversos tamanhos, desde alguns centímetros, como alguns geckos, até 3 metros, como o dragão-de-komodo. São geralmente carnívoros, alimentando-se de insetos ou pequenos mamíferos, mas também há lagartos omnívoros ou herbívoros, como as iguanas. O monstro-de-gila, nativo do sul dos EUA, é a única espécie que é venenosa. Alguns tipos de lagarto são capazes de regenerar partes do seu corpo, mais usualmente a cauda, mas em alguns casos mesmo patas perdidas. Enquanto a maioria das espécies põe ovos, outras são vivíperas ou ovovivíperas.Neste ano foi encontrado no cerrado de Tocantins uma nova espécie de lagarto, cujo nome científico é Stenocercus quinarius.



Basilisco

O basilisco se tornou conhecido por três motivos: o primeiro é que ele é um dos lagartos mais bonitos das américas, com suas cristas, sua coroa óssea e cores vivas espalhados por seus cerca de 80 cm de comprimento.


O segundo é que ganhou seu nome de um animal mitológico fantástico, o basilisco das lendas gregas e medievais. Nas lendas era o rei das serpentes, e andava ereto como um homem sobre duas pernas. Sua presença afastava ratos e outros animais indesejados. Recentemente, um famoso livro sobre um bruxo adolescente teve um basilisco como vilão. Quando chegaram às matas da Amazônia, os exploradores europeus devem ter achado que aquele estranho e belo animal devia ser o animal mitológico de que tanto ouviam falar, e deram-lhe este nome.


Mas terceiro e mais incrível motivo de admiração por este lagarto é sua capacidade de correr sobre a água. Durante uma fuga de um predador, dirigem-se para um curso de água, que pode ter até 50 m. de largura, e colocam-se correndo sobre as patas traseiras como uma pessoa ou ave. Os longos dedos traseiros possuem uma dobra de pele cada que, quando o basilisco se põe a correr, se abrem durante a descida da pata, e se fecham imediatamente quando puxado para cima. Então esta dobra apresenta uma certa


resistência que o permite se manter acima da superfície até que consiga escapar do perigo e nem se arriscar a virar comida de grandes peixes ou jacarés.


Mas mesmo que ele tente atravessar um rio muito grande, não tem problema, pois o basilisco sabe nadar muito bem.


O basilisco consegue uma grande variedade de alimentos nas florestas tropicais em que vive: insetos, frutas, pequenos caranguejos, anfíbios, roedores, ovos e filhotes de aves, folhas e outros. Os filhotes comem quase que apenas insetos.


Basilisco-Verde




Basilisco-Marrom



Calango

Apesar de chegarem a 30 cm de comprimento não são espécies agressivas. Quando ameaçados procuram se esconder em alguma fenda ou buraco, e quando capturados ficam imóveis como se estivessem mortos. Para que ocorra o aparecimento dessas espécies o ambiente precisa apresentar algumas características. Costumam aparecer em áreas com pouco movimento de pessoas, com madeira, concreto ou rochas para que se camuflem, escalem e tomem sol. Sempre estão próximos de alguma fenda ou buraco ou de algo que atraia insetos e outros artrópodes, como lâmpadas e vegetais. São também muito confundidos com lagartixas (geckos), apesar de serem muito maiores que a lagartixa caseira.



Lagartixas (Geckos)

O grupo, originário da África, encontra-se espalhado em todas as zonas temperadas e quentes do mundo. São muito importantes para o meio ambiente porque, como insetívoros, funcionam como "controladores" de pragas domésticas.


As lagartixas podem subir paredes – inclusive de vidro – e até andar na superfície de tetos graças às forças de van der Waals estabelecidas pelas cerdas existentes nas suas patas.


Algumas espécies apresentam capacidade de camuflagem similar à do camaleão. Outras comunicam-se entre si através de ruídos – o que não é muito comum entre lagartos.


A lagartixa é um réptil porque possui respiração estritamente pulmonar, sua circulação é fechada, dupla e completa, possui pele seca e recoberta por escamas. É pecilotérmica e o sistema digestivo é completo. Os principais predadores das lagartixas são as serpentes(cobras) e os gatos domésticos.

Lagartixas Domésticas:

Gecko



Lagartixa-Comum



Lagartixa-Melanésia



Osga-Moura



Latastia



Lagartixa-Tokay



Lagartixas Selvagens: Elas não possuem a habilidade de andar sobre paredes e vidros.

Lagartixa-Ibérica



Lagartixa-da-Madeira



Lagartixa-Pedra



Lagartixa-de-Dedos-Denteados



Lagartixa-de-Cauda-de-Folha

O phantasticus Uroplatus, O Satanic Gecko Leaf Atado, É uma espécie de lagartixa endêmico para a ilha de Madagáscar. Descrita pela primeira vez em 1888 por George Albert Boulenger, phantasticus U. é o menor no corpo do Uroplatus geckos , embora haja um debate em curso quanto ao fato de um dos seus primos, U. ebenaui, É menor por causa de sua cauda mais curta. A folha de gecko satânica cauda também é comumente conhecida como a folha de cílios ou gecko gecko cauda folha fantástico cauda .



Camaleão

Os camaleões têm até 60 centímetros de comprimento, com uma língua muito grande para pegar suas presas, como mariposas, moscas e outros insetos (ou protáctil, não confundir com portátil), cauda preênsil e patas fortes.


Movimenta-se com lentidão para não ser notado antes do ataque. Para apanhar sua presa, utiliza a língua que tem uma ponta grudenta. Consegue, com grande velocidade, estender a língua quase um metro. Sua língua, de ponta pegajosa prende o inseto e este é comido. Estuda-se esse processo com o auxílio de câmeras de alta velocidade. Ele se alimenta principalmente de insetos, entre os quais estão o gafanhoto, a joaninha, o besouro, e muitos outros.


Os seus olhos podem ser movidos independentemente para qualquer direção, o que lhe confere aparência curiosa. Quando um camaleão vê uma presa, pode fixá-la com um olho e utilizar o outro para verificar se não há predadores nas redondezas. O encéfalo do camaleão recebe duas imagens separadas, que tem de associar. À medida que se aproxima da presa, o camaleão fixa nela ambos os olhos para poder fazer pontaria.


Os olhos são recobertos por uma pálpebra que deixa livre apenas uma pequena área circular no centro, que corresponde à íris e a pupila.


Sua pele possui bastante queratina, o que apresenta uma série de vantagens (em especial, a resistência). Mas essa característica faz com que o camaleão precise fazer a "muda" de pele durante seu crescimento (a pele antiga descama, dando lugar a outra), assim como fazem as serpentes e outros lagartos.


Quanto ao habitat, a maior parte dos camaleões vive na África e em Madagascar,[carece de fontes] embora algumas espécies também sejam encontradas em Portugal, em Espanha, Sri Lanka, Índia e até na Ásia Menor. Diferentes espécies habitam diferentes ambientes, como montanhas, florestas pluviais, savanas e às vezes desertos e estepes. Acredita-se que os indivíduos que vivem nos sectores mediterrânicos europeus derivem de exemplares introduzidos pelo homem em épocas remotas.


Os camaleões habitam, em sua maior parte, árvores. Mas também são achados em alguns arbustos, e algumas espécies vivem no chão, por baixo de folhas. Podem passar de uma árvore a outra graças à sua cauda preênsil e aos pés em forma de pinças.


Na Amazônia e no Região Nordeste do Brasil, o lagarto conhecido como iguana (Iguana iguana) é por vezes chamado de camaleão, embora pertença a uma família diferente (família Iguanidae). A espécie também é conhecida localmente como sinimbu. A iguana não sofre pressão de caça intensa, principalmente pela falta de tradição como alternativa alimentícia pelas comunidades rurais. No entanto, existem relatos de consumos de ovos por algumas comunidades ribeirinhas da Amazônia. Pratos feitos com o animal também são ocasionalmente preparados pelos nativos.


Também há casos menos frequentes de camaleões da família Chamaeleonidae na Amazônia, de origem indiana, e que foram introduzidos pelos portugueses. Esses animais se adaptaram com sucesso ao habitat amazônico.


Como não é uma espécie nativa, a legislação brasileira não proíbe a criação de camaleões como animais de estimação: são bichos dos mais populares entre os fãs de animais exóticos. Recentemente, o IBAMA proibiu a importação de camaleões.[carece de fontes] Mas não há restrição de criação de animais que já estejam no país, desde que estejam em criadouros adequados. Essa "permissão" naturalmente não vale para o "camaleão da Amazônia", que é nativo.


Os lagartos do gênero Anolis também são as vezes chamados de camaleões, devido à sua habilidade de mudar de cor, mas, assim como a iguana, eles não são camaleões verdadeiros, pois pertencem a outra família.


Todos os camaleões são animais diurnos. Seu período de maior atividade é a manhã, e o final do entardecer. Os camaleões não são caçadores ativos. Ao invés disso, preferem se sentar, ficando horas imóveis, esperando uma presa passar por eles. Se alimentam basicamente de artrópodes e de pequenos vertebrados. Em cativeiro, também comem frutas como mamão, banana, pequenos pedaços de maçã, mas essa dieta só é válida para animais adultos: filhotes são quase exclusivamente insetívoros.


Os camaleões vivem a maior parte de suas vidas solitariamente, e são bastante agressivos contra outros membros de sua mesma espécie, mesmo que sejam fêmeas. O hábito solitário só é abandonado na época de acasalamento, quando o macho desce das árvores à procura de fêmeas. Os camaleões mordem se forem provocados, mas a mordida não causa dores muito fortes.

Camaleão-Comum
(Chamaeleo Chamaeleon)



Camaleão-do-Quênia
(Chamaeleo Hoehnelli)



Camaleão-de-Jackson
(Chamaeleo jacksonii)



Camaleão-Indiano
(Chamaeleo Zeylanicus)



Camaleão
(Chamaeleo Dilepis)



Camaleão
(Calumma Parsonii)



Camaleão-Tarzan
(Calumma Tarzan)



Camaleão
(Bradypodion Grutturale)



Camaleão
(Bradypodion Pumilum)



Camaleão
(Brookesia)



Iguanas

O Iguana iguana pertence à família Iguanidae, que possui 5 subfamílias; 54 gêneros e mais de 700 espécies. A família Iguanidae é encontrada nas Américas do Norte, Central e Sul (do Sudoeste do Canadá até a Terra do Fogo); na Ilha de Madagascar, na África; e nas Ilhas Fiji, na Ásia.


As espécies são muito diversificadas, e é difícil de caracterizá-la com base somente na aparência. Um caráter constante no gênero Iguana é a ausência de um padrão regular de escamas no topo da cabeça, especialmente no focinho. As pálpebras são formadas por grânulos, espessadas nas bordas e fecham-se completamente.

Iguana-Verde ou Iguana-Comum
(Iguana Iguana)



Iguana-Azul
(Cyclura Lewisi)
Cayman Island blue iguana in habitat

Iguana-Vermelha 




Iguana-Terrestre-de-Galápagos
(Conolophus subcristatus)

Galapagos land iguana on rock

Iguana-Albina



Iguana-Listrada-de-Fiji
(Brachylophus Fasciatus)



Iguana-de-Crista-de-Fiji
(Brachylophus vitiensis)



Iguana-Terrestre-de-Santa-Fé



Iguana-das-Caraibas



Iguana-Cubana
(Cyclura nubila)



Iguana-Marinha-de-Galápagos
(Amblyrhynchus cristatus)



Lagarto-de-Góla
(Chlamydosaurus kingii)

Esta espécie é famosa pela sua extensão de pele suportada por estruturas de cartilagem saindo da parte de traz da cabeça, que o lagarto pode abrir para parecer maior e assustar seus predadores. Alguns acreditam que a estrutura também ajuda o lagarto a regular a temperatura de seu corpo.


Apesar de quadrúpedes, esses lagartos podem correr sobre duas patas. Eles vivem nos desertos e pradarias, mas também pode ser encontrados em algumas florestas. Alimenta-se de artrópodes (insetos, aracnídeos...) e pequenos vertebrados.





Teiú

Dos Teiidae, é o lagarto mais comum em cativeiro, no Brasil. Atinge até 1,4 m de comprimento. Cabeça comprida e pontiaguda, mandíbulas fortes providas de um grande número de pequenos dentes pontiagudos. Língua cor-de-rosa, comprida e bífida. Cauda longa e arredondada. Coloração geral negra, com manchas amareladas ou brancas sobre a cabeça e membros. Região gular e face ventral brancas, adornadas de manchas negras. Os filhotes são esverdeados, coloração que vai desaparecendo de acordo com o desenvolvimento dos animais. Devem ser mantidos em amplos terrários, dotadas de pedras e troncos fortes, sendo o substrato formado por uma espessa camada de areia de rio, pré-lavada. A iluminação deve ser fornecida por lâmpadas fluorescentes, garantindo um bom período de luminosidade durante o dia. Devem ser mantidos sob temperaturas entre 28 º C e 32 º C, muito embora suportem consideráveis variações de temperatura. Umidade em torno de 40%. Onívoros, alimentam-se, em cativeiro, de gemas de ovos, carnes, camundongos, pintinhos, rãs, frutas doces, etc. Podem ser animais agressivos, razão pela qual são importantes os cuidados no manejo para evitarem mordidas. Ovíparos, põe em média 30 ovos, os quais são incubados por um período de 90 dias.

Teiú-Branco
(Tupinambis teguixin)



Teiú-Comum



Lagarto-Monitor

É uma espécie de lagartos da família Varanidae.


O lagarto-monitor é conhecido por alcançar mais de 3m de comprimento. Muitos o consideram o maior lagarto do mundo, mesmo maior que o de dragão-de-komodo, apesar de este ser muito mais pesado.


Como todos os outros lagartos monitores da família Varandae, o lagarto monitor pode ser identificado por sua longa língua bifurcada, e os únicos outros répteis com essa característica são as cobras. Possui longos afiados dentes, é um habitante tanto do solo quanto das árvores.


O lagarto monitor é encontrado exclusivamente no sul da Nova Guiné, e é um animal dócil que pode ser facilmente domesticado.


Obs: Embora o lagarto monitor seja o maior lagarto do mundo, dois terços do seu tamanho é composto pela cauda.


Lagarto-Monitor-Comum




Lagarto-Monitor-Crocodilo



Lagarto-Monitor-do-Nilo

Cresce cerca de 4,5 a 6,5 metros de comprimento. Eles têm , pernas fortes e poderosas mandíbulas. Os dentes são afiados. Eles também possuem garras afiados usados para a escalada, cavando, defesa, ou rasgar a sua presa. Como todos os monitores têm uma língua dividida (como a da cobra), com propriedades olfativa altamente desenvolvida .


Suas narinas são colocadas no alto do focinho , indicando que estes animais são altamente aquáticos, mas também são excelentes alpinistas e rápido corredores em terra. O lagarto do Nilo controla a alimentação de peixes, moluscos, rãs, ovos de crocodilo , aves, pequenos mamíferos, insetos grandes.


Lagarto monitor do Nilo, vivem em toda a África à exceção de regiões desérticas. Eles também têm sido introduzidos na Flórida. Em junho de 2007, eles foram avistados próximo de Sanibel, Florida.



Monstro-de-Gila

Tem até 60 cm de comprimento, o que faz dele o maior lagarto norte-americano. Habita o Sudoeste da América do Norte (EUA e México), em regiões desérticas. Os seus hábitos são principalmente noturnos e terrestres. Move-se lentamente, usando a língua para sentir cheiros deixados na areia e capturar as suas presas. Chega aos 20 anos de longevidade.


Alimenta-se de aves, de outros lagartos e de todos os ovos que conseguirem encontrar no seu caminho. Também aceitam camundongos e outro roedores. Em cativeiro podem-lhes ser dados camundongos, ratos, vivos ou previamente abatidos, ovos, pedaços de carne, etc, e a dieta deve ser enriquecida com suplemento de vitaminas e cálcio. Animais coletados em seu habitat podem recusar alimento.



Dragão-de-Komodo

É uma espécie de lagarto que vive nas ilhas de Komodo, Rinca, Gili Motang e Flores, na Indonésia. Pertence à família de lagartos-monitores Varanidae, e é a maior espécie de lagarto conhecida, chegando a atingir 2–3 m de comprimento e 70 kg de peso. O seu tamanho invulgar é atribuído a gigantismo insular, uma vez que não há outros animais carnívoros para preencher o nicho ecológico nas ilhas onde ele vive, e também ao seu baixo metabolismo. Como resultado deste gigantismo, estes lagartos, juntamente com as bactérias simbiontes, dominam o ecossistema onde vivem. Apesar dos dragões-de-komodo comerem principalmente carniça, eles também caçam e fazem emboscadas a presas incluindo invertebrados, aves e mamíferos.


A época de reprodução começa entre maio e agosto, e os ovos são postos em setembro. Cerca de vinte ovos são depositados em ninhos de Megapodiidae abandonados e ficam a incubar durante sete a oito meses, e a eclosão ocorre em abril, quando há abundância de insetos. Dragões-de-komodo juvenis são vulneráveis e, por isso, abrigam-se em árvores, protegidos de predadores e de adultos canibais. Demoram cerca de três a cinco anos até chegarem à idade de reprodução, e podem viver até aos cinquenta anos. São capazes de se reproduzir por partenogénese, no qual ovos viáveis são postos sem serem fertilizados por machos.


Os dragões-de-komodo foram descobertos por cientistas ocidentais em 1910. O seu grande tamanho e reputação feroz fazem deles uma exibição popular em zoológicos. Na natureza, a sua área de distribuição contraiu devida a actividades humanas e estão listadas como espécie vulnerável pela UICN. Estão protegidos pela lei da Indonésia, e um parque nacional, o Parque Nacional de Komodo, foi fundado para ajudar os esforços de protecção.


O dragão-de-komodo é conhecido, para os nativos da ilha de Komodo, como ora, buaya darat (crocodilo da terra) ou biawak raksasa (monitor gigante).



Dragão-Cornudo-da-Montanha

Este lagarto é mais conhecido por Dragão cornudo da montanha devido aos espinhos afiados que crescem atrás de cada olho, assemelhando-se "cornos". São lagartos arborícolas, gostando por isso de permanecer nos topos das árvores com densa vegetação.


A tonalidade predominante deste lagarto varia conforme a idade: os jovens têm uma cor mais acastanhada, ficando mais amarelados quando dormem e mais escura quando estão assustados.


É um lagarto muito dócil para com o dono. Principalmente activo de dia, gosta de trepar.


Estes animais sao insectívoros, ou seja alimentam-se à base de insectos, tais como grilos, minhocas, tenébrios,etc.



Lagarto-Agama

É uma espécie de lagarto que possui uma coloração vermelha e azul em todo o seu corpo, semelhante à roupa do herói da Marvel Comics, o Homem-Aranha.

Lagarto-Agama-Escuro




Lagarto-Agama-Comum




Lagarto-Agama-Azul


Lagarto-Varano

Os varanos são lagartos de grandes dimensões, carnívoros ou frugívoros (pelo menos a espécie V. bitatawa é frugívera) e extremamente agressivos. Têm um metabolismo rápido, tendo em conta que são répteis, e sentidos de visão e olfacto bastante apurados. A maioria das espécies pode deslocar-se com bastante rapidez. Os varanos são considerados como o grupo mais diferenciado dentro dos lagartos.


Em tempos pré-históricos os varanídeos incluíam também espécies marinhas, e podem ser parentes próximos dos gigantescos mosassauros, lagartos gigantes que aterrorizavam os mares do período Cretáceo.

Varano-Esmeralda



Varano-Malaio



Varano-Gigante



Varano-Cinzento



Sardão



É conhecido por conseguir viver 25 anos em cativeiro, quando confrontado abre a boca e sibila, conseguindo mesmo saltar para o inimigo. Os machos são territoriais na Primavera. A hibernação ocorre entre Outubro e Abril. O Homem tem sido o maior inimigo e o motivo principal pelo declínio desta espécie. Sofrem uma enorme taxa de mortalidade por atropelamento, já que estes lagartos utilizam muitas vezes as estradas por terem uma boa exposição solar e se aquecerem. Em Portugal não está ameaçado.

Licranço



Cobra-de-vidro



Fura-Mato



O licranço, alicanço, licanço, fura-mato ou cobra-de-vidro (Anguis fragilis) é um réptil da ordem dos sáurios (é, portanto, um lagarto), de membros ausentes (ápode). Pertence à família dos anguídeos. É nativo de África, da Europa e da Ásia.


Apesar do nome vulgar "cobra-de-vidro", estes animais são, de facto, lagartos. Entre as características que os diferenciam das cobras estão:


a pálpebra – os lagartos possuem pálpebras móveis e as cobras não;


a sua língua é dividida em vez de bifurcada, como acontece nas cobras;


a troca de pele desses lagartos ocorre em farrapos, em vez da pele inteira, como acontece nas cobras.


A pele tem um toque suave e é composta por escamas não sobrepostas. Tal como outros lagartos, o licranço autotomiza-se, o que significa que podem perder a cauda, de forma a fugir a predadores. A cauda volta, depois, a crescer, mas raramente atinge o tamanho inicial. As fêmeas têm frequentemente uma risca no dorso, enquanto que o macho pode ter manchas azuladas.


São animais diurnos, gostando de se aquecer ao sol. São carnívoros e, como se alimentam de lagartas, larvas e lesmas, encontram-se frequentemente junto a campos com erva.


As fêmeas dão à luz crias plenamente desenvolvidas. São, portanto, animais ovovivíparos. As fêmeas podem ser encontradas, nos dias antes do parto, em locais soalheiros e quentes, tomando banhos de sol.


São comuns em jardins e especialmente benéficos, já que ajudam a controlar pragas prejudiciais de insetos e lesmas. O jardineiro pode encorajar a permanência destes animais colocando chapas de zinco ou plásticos pretos no chão já que o licranço gosta especialmente de se colocar debaixo de tais objectos que funcionam como colectores de calor.


Os animais adultos conseguem atingir até 50 cm de comprimento e são conhecidos pela sua excepcional longevidade; acredita-se que sejam o tipo de lagarto com maior tempo de vida.

Cobra-de-pernas



Apesar do seu nome ser cobra-de-pernas-tridáctila, este réptil não é uma cobra! É um pequeno lagarto!


Este tem umas patas muito pequenas e tem apenas 3 dedos em cada pata (daí o nome "tridáctila"). Tem também um corpo muito alongado e no geral o corpo é semelhante ao de uma cobra.... E movimentam-se muito rapidamente, sem fazer uso das patas, tal como uma cobra.

Lagarto-Crocodilo-Chinês



é classificado perto IUCN como vulnerável. Pouco é sabido sobre ele, desde que o lagarto chinês do crocodilo é encontrado somente em áreas muito pequenas no Hunan, Guangxi Zhuang, e Guizhou províncias de China. É um animal popular no comércio ilegal do animal de estimação porque é se mover lento e dormir fàcilmente travado em filiais acima das lagoas e dos córregos rasos, onde caça pelo dia.

Diabo-Espinhoso



Apesar do seu nome, o diabo espinhoso não ultrapassa os 20 cm de comprimento. As fêmeas são maiores que os machos. A sua coloração, que eles próprios controlam, tal como o camaleão, varia entre o amarelo e o castanho-escuro, conforme o tipo de solo e serve-lhe de camuflagem. Possui uma "falsa cabeça" atrás da verdadeira que utiliza para confundir os predadores. Possui espinhos cónicos por todo o corpo excepto na barriga onde são substituidos por protuberâncias.


O diabo espinhoso só tem formigas como único alimento, especialmente as do género Iridomyrmex. Só come uma formiga de cada vez, que captura com a sua língua pegajosa, mas pode comê-las a um ritmo de 45 por minuto. Podem comer entre 600 a 3000 só numa refeição e mais de 10 000 por dia.


Para beber o diabo espinhoso condensa o humidade existente na noite fria nas escamas e canaliza-a até à boca através de sulcos hidroscópicos existentes por entre os espinhos. O mesmo acontece em dias de chuva ou se ele encontrar uma poça.


Embora tenha o corpo coberto de espinhos cónicos, a sua extrema lentidão torna-o uma presa fácil. Os seus predadores são a abetarda, que efetua descidas rápidas sobre ele que o atordoam até o matar, e o varano. No entanto o diabo espinhoso tem algumas técnicas de defesa como enfiar a cabeça entre as patas dianteiras e mostrar a falsa cabeça que os predadores tomam por verdadeira. Se os predadores o tentarem rolar para expor a sua barriga, a zona mais desprotegida do seu corpo, o diabo contra-ataca fazendo pressão com os espinhos e com a cauda. Para assustar os predadores pode também inchar para dar a impressão de ser maior.

Lagarto-tatu 


Cordylus cataphractus é o nome desse curioso lagarto encontrado nas zonas desérticas do sul da áfrica. Sua característica principal é ter seu corpo coberto por escamas pontiagudas. O bicho ao sentir-se ameaçado morde seu próprio rabo enrolando como uma bola, ocultando seu abdômem; razão pela qual ele também é conhecido como lagarto tatu.


Cordylus cataphractus é uma espécie de lagarto pertencente ao gênero Cordylus, da família Cordylidae. Entre 15 e 20 centímetros de comprimento, possuem escamas pontudas para proteção, são ovovivíparos e se alimentam principalmente de insetos. Vivem em pequenos grupos e hibernam durante o inverno.


Esse lagarto exibe características marcantes, como o cuidado com a prole, muito raro em répteis, mas a característica que lhe trouxe fama e o apelido de “lagarto-tatu” é o mecanismo de defesa no qual este lagarto morde a ponta da cauda e se enrola formando uma bola de escamas pontiagudas.





Lagarto-Rabo-de-Macaco

O lagarto-rabo-de-macaco (Corucia zebrata) é um dos maiores exemplares de sua família, Scincidae, a qual é representada por lagartos de corpo cilíndrico e maciço de onde saem quatro pequenas patas. Essa espécie é encontrada quase exclusivamente nas Ilhas Salomón, no Pacífico Sul, se estendendo somente para as Ilhas BougaVilla y Buka en Papua e Nova Guiné.


Habita florestas tropicais úmidas e palmerais com extenso crescimento de epífitas. Tem hábitos crepusculares e noturnos e durante o dia gosta de se esconder em troncos ocos, principalmente de figueiras. Possui de 60 a 82 cm de comprimento além dos 40cm de cauda. O nome "rabo de macaco" é devido à sua cauda preênsil, única entre os lagartos, que é importantíssima para o seu sucesso como animal arborícola.


É herbívoro e se alimenta principalmente das folhas das plantas, mas pode vir a pegar insetos ou até mesmo filhotes de camundongo. Esse lagarto é uma espécie vivípara, ou seja o filhote já nasce inteiro, sendo que a gestação é de 6 a 8 meses. A fêmea pari um único filhote (ocasionalmente podem ocorrer gêmeos), que possui um terço de seu tamanho. Após o nascimento ela protege sua cria, que fica ao seu lado por várias semanas.


Esse cuidado parental é encontrado em poucos répteis. Por ser um lagarto calmo e dócil, muitas pessoas o adquiriram como animal de estimação, mas felizmente ele não se encontra em perigo de extinção. Se a procura por esse animal continuar, provavelmente ele tomará esse caminho, uma vez que a taxa de reprodução nessa espécie é muito baixa. Quem estiver interessado em conhecer esse simpático lagarto pode encontrá-lo no Zôo de São Paulo, no Terrarium, situado na Alameda Aves



Briba

O briba (Diploglossus lessonae) é uma espécie de lagarto da família Anguidae encontrado no Brasil. Possui dez centímetros de comprimento aproximadamente e é conhecido por suas patas muito curtas. De fato, são tão curtas que o briba, embore as use para andar, as encolhe e desliza como uma cobra quanto quer alcançar maior velocidade. Exatamente a mesma estratégia é usada pela Losma (gênero Chalcides), do sul da Europa.



Bico-Doce

O bico-doce (Ameiva ameiva) uma espécie de lagartos da floresta amazônica. Com 45-50 centímetros de comprimento, esses lagartos costuman alimentar-se de insetos, aranhas e rãs.



Lagartixa-Leopardo

O Eublepharis macularius, conhecido popularmente porLagartixa-leopardo, osga-leopardo, ou geco-leopardo é uma lagartixa originária dos desertos do Oriente Médio (Paquistão, Afeganistão e Irã) e da Índia, que mede aproximadamente 22 centímetros, podendo alcançar os 27 centímetros e alimenta-se de insetos, como baratas, grilos e tenébrios. Apresenta manchas amarelas, roxas, azuis e pretas na pele, fazendo com que cada membro da espécie seja único.



Lagarto-de-Língua-Azul

Os lagartos-de-língua-azul são os lagartos autralianos do gênero Tiliqua, que inclui alguns dos maires membros de lagartos da família Scincidae.



Papa-Vento

O Papa-vento (Enyalius iheringii) é um dos lagartos mais comuns do estado de São Paulo, encontrado até mesmo em parques nas grandes metrópoles. São grandes comedores de insetos, principalmente cupins e formigas, que costumam capturar na parte mais baixa dos troncos de árvores, onde passam a maior parte do seu tempo. Esta dieta os torna muito importantes para evitar a superpopulação destes insetos que podem ser prejudiciais.


8 comentários:

Anônimo disse...

Muito bom este artigo sobre repteis (lagartos) dificilmente encontro algo assim na internet, meus parabéns.!!

Anônimo disse...

Adoro ver esses essas matérias,esses animais sao muito lindos,parabéns.mari361902@hotmail.com.br

Carol Simões disse...

sou louca por lagartos. adorei, completissimo! carolsimoesteatro.blogspot.com

Carol Simões disse...

sou louca por lagartos. adorei, completissimo! carolsimoesteatro.blogspot.com

Anônimo disse...

oi gata também sou louco por lagartos

Anônimo disse...

eles mordem são agressivos ou venenosos ? como posso pegar neles pra locomover

Anônimo disse...

Muito bacana,pena ter só uma subespecie do ameiva ameiva ,um lagarto incrível,muito ativo!

Katia Trosman disse...

ENCONTREI UM LAGARTO VERDE E PRETO COM A CALDA ESPINHOSA COM LISTRA AMARELA E VERDES, E NÃO ENCONTREI NADA SOBRE ESSA ESPÉCIE. katiatrosman@hotmail.com.