Postagens

Pesquisar este blog

Carregando...

17 maio, 2011

Aves Piciformes

Piciformes é uma ordem de aves que inclui animais de médias dimensões que habitam o meio arbóreo. Incluem os pica-paus e os tucanos.


Tucanos

São designadas por tucano as aves da família Ramphastidae que vivem nas florestas da América Central e América do Sul.

Possuem um bico grande e oco. A parte superior é constituída por trabéculas de sustentação e a parte inferior é de natureza óssea. Não é um bico forte, já que é muito comprido e a alavanca (maxilar) não é suficiente para conferir tal qualidade. Seu sistema digestivo é extremamente curto, o que explica sua base alimentar, já que as frutas são facilmente digeridas e absorvidas pelo trato gastrointestinal. Além de serem frutívoros (comerem fruta), necessitam de certo nível protéico na dieta, o qual alcança caçando alguns insetos, pequenas presas (como lagarto, perereca, etc) e mesmo ovos de outras aves. Possuem pés zigodáctilos (dois dedos direcionados para frente e dois para trás), típicos de animais que trepam em árvores.
São monogâmicos territorialistas (vivem e se reproduzem em casal isolado). Não há dimorfismo sexual e a sexagem pode ser feita por análise de seu DNA. A fêmea e o macho trabalham no ninho, que é construído em ocos de árvores. A fêmea choca e o macho os alimentam. Fazem postura de 3 a 4 ovos, cujo período de incubação é de 18 dias.
O Tucano-toco (Ramphastos toco) ainda não é uma espécie ameaçada de extinção, entretanto tem sido capturado e traficado para outros países a fim de ser vendido em lojas de animais. Isto tem como conseqüência a diminuição de sua população nas florestas, pondo em risco a variabilidade genética, como também a morte de muitos animais durante o transporte.


Tucano-Toco



O tucano-toco, também conhecido como tucanuçu (Ramphastos toco) é uma espécie de tucano e o maior representante da família Ramphastidae.

Apresenta 56 cm de comprimento e pesa cerca de 540 gramas, sendo o maior de todos os tucanos. Não apresenta dimorfismo sexual: a plumagem é uniformemente negra da coroa ao dorso e no ventre. Dispõe de uma pele nua amarela ao redor do olho e suas pálpebras são azuladas. O papo é branco e freqüentemente tingido de amarelo. O uropígio é branco e a plumagem embaixo da cauda, que forma o crisso, é avermelhada.
A característica mais notável da espécie é o grande bico amarelo-alaranjado, que pode medir 22 cm. O bico do tucano-toco é constituído de tecido ósseo esponjoso, formando uma estrutura não maciça e areada como um favo-de-mel. Isso torna o bico mais leve e, portanto, não dificulta o voo. A ponta da maxila possui uma grande mancha negra.
Estudos realizados com tucanos-toco comprovaram que seu bico também serve com um dispersor natural de calor, devido ao número de vasos sanguíneos nele presentes em contato com o ambiente.
Filhotes apresentam bico curto e amarelo, sem a mancha negra. A pele ao redor dos olhos é esbranquiçada e a garganta é amarela.
O tucano-toco é encontrado nos dosséis das florestas tropicais da América do Sul, desde as Guianas até o norte da Argentina. Sua distribuição ocorre desde o Piauí, Tocantins, Mato Grosso até o extremo norte do Rio Grande do Sul. No litoral, está presente desde o Rio de Janeiro até Santa Catarina.
Fósseis de Ramphastos toco do Pleistoceno (20.000 anos) foram encontrados em Lagoa Santa, Minas Gerais.

Ficheiro:Parque das aves.jpg



Tucano-de-Bico-Verde



O Tucano-de-bico-verde (Ramphastos dicolorus) é uma espécie de tucano nativa do Brasil, Argentina e do Paraguai. Tais aves medem cerca de 48 cm de comprimento, possuindo, como o próprio nome popular indica, o bico de cor verde, garganta e peito amarelos e barriga vermelha. Também podem ser conhecidos pelo nome de tucano-de-peito-vermelho. O tucano-de-bico-verde é encontrado em toda a região Sul e Sudeste do Brasil, e também, no sul de Goiás(bem raro na região). Bastante comum em regiões de serra, onde é avistado em pequenos bandos. São perseguidos por caçadores pela sua carne. Vive em áreas florestadas, desde o litoral até as zonas montanhosas, incluindo as florestas de planalto. Se alimentam de frutos, artrópodes e pequenos vertebrados, sendo que com freqüência alimenta-se de filhotes e ovos em ninhos de outras aves. Bota de 2 a 4 ovos, incubados durante 18 dias.




Tucano-de-Bico-Preto



O tucano-de-bico-preto ou tucano-de peito-amarelo (Ramphastos vitellinus) é uma ave da ordem Piciformes, da família Ramphastidae.

Seu habitat são as florestas tropicais e pode ser encontrado em toda faixa litorânea que vai do Pará e Santa Catarina. Sua cor geral é preta, com a garganta e peito de cor amarelo gema de ovo e distingue-se dos demais tucanos, por possuir bico negro, mas na base apresenta uma zona amarela pálida. Pode medir cerca de 45 cm, tendo 12 cm de bico e seus dedos são providos de unhas longas e curvas, as asas são curtas e a língua comprida e fina.
A fêmea pode colocar 2 a 4 ovos e a incubação dura cerca de 18 dias. Sua alimentação baseia-se em pequenos animais e frutas.
Apesar do tamanho, seu bico é extremamente leve. Seu vôo não é longo e é feito em linha sinuosa. Gosta de banhar-se na folhagem molhada pela chuva. Para dormir eleva a cauda, com ela cobrindo a cabeça, a qual é mantida virada para as costas, mantendo o bico oculto. Vive em bandos de quatro a dez indivíduos. Seu ninho é feito em ocos de árvores. É freqüentemente vítima de sua própria curiosidade, sendo facilmente atraído com assobios pelos traficantes de animais.
A preservação desta espécie é o maior interesse, pois estão entre os mais peculiares elementos da avifauna de nosso país. O Ramphastus vitellinus pintoi é considerado extinto no estado de São Paulo.


Tucano-de-Peito-Branco

O Tucano-de-peito-branco (Ramphastos tucanus) é uma espécie amazônica de tucano que mede cerca de 55 cm de comprimento e possui bico vermelho ou preto com a base da maxila e o cúlmen amarelos. Tais aves são conhecidas ainda pelos nomes de pia-pouco, quirina e tucano-cachorrinho. Ocorre nas Guianas, norte do Pará, Amapá, Marajó, leste do Pará, ao sul do Rio Amazonas até o lado leste do rio Tocantins; atinge ainda o litoral do Maranhão.


Tucaninho-Verde
 (Aulacorhynchus Derbianus)




Araçari-Miúdo-de-Bico-Riscado



Araçari-miúdo-de-bico-riscado (Pteroglossus inscriptus), ou araçari-letrado, é uma ave da família Ramphastidae. Mede 33 centímetros de comprimento. Bem semelhante ao Pteroglossus viridis do qual difere por ter um fino desenho transversal negro no bico, a fêmea apenas de garganta castanha. Voz: forte "ta-rát" e "ra-ák" "käkäkä" , lembrando a advertência de um grande martim-pescador. Ocorre do leste do Pará aos rios Madeira (Amazonas)e Guaporé (Minas Gerais), até a Bolívia; também no Maranhão e em Pernambuco e Alagoas. No alto Amazonas (a oeste do rio Madeira) , representado por P. i. humboldti de mandíbula preta.



Araçari-Miúdinho



Pteroglossus viridis, conhecido popularmente por araçari-miudinho ou araçari-limão, é uma ave piciforme da família Ramphastidae.

O araçari-miudinho é a menor espécie do gênero Pteroglossus, medindo aproximadamente 33 cm de comprimento. Apresenta dimorfismo sexual quanto à coloração da cabeça (preta nos machos e castanha nas fêmeas), sendo as demais características comuns a ambos os sexos: bico amarelo, vermelho e preto; asas e dorso pretos, partes inferiores amarelas, uropígio vermelho.
Vive nas florestas baixas do nordeste da América do Sul (Venezuela e Guianas) e norte da Bacia Amazônica (do Rio Negro e margem setentrional do Amazonas até o Amapá).

Macho

Ficheiro:Pteroglossus viridis (male) -Bronx Zoo-8-4c.jpg

Fêmea

Ficheiro:Pteroglossus viridis -Philadelphia Zoo, Pennsylvania, USA -female-8a.jpg

Araçari-de-Pescoço-Vermelho 



O araçari-de-pescoço-vermelho (Pteroglossus bitorquatus) é uma espécie de ave da família Ramphastidae. É bastante colorido, possuindo as asas, a causa e parte do dorso verde. O alto da cabeça é preto e o peito, a porção superior do pescoço e uma pequena área acima a cauda são vermelho-alaranjados. Vivem em bandos de 5 a 6 indivíduos que se locomovem pulando através dos galhos e ramos das árvores ou voando com rapidez, ocasião em que mantém o bico esticado para a frente, interrompendo as seqüências de batidas de asas e voando como se desenhassem ondas no ar.

São mais vegetarianos do que os tucanos, mas ambos comem sementes. Eles se alimentam de frutos, com cascas difíceis de abrir, espalhando as sementes pela floresta quando defecam.


Araçari-de-Bico-de-Marfim 
(Pteroglossus Azara)


Araçari-Castanho 



O araçari-castanho (Pteroglossus castanotis) é uma espécie de ave da família da família Ramphastidae. Ocorre da Colômbia ao Paraguai e no Brasil centro-meridional. Tais aves medem cerca de 43 cm de comprimento, com um grande bico multicolor, bochechas, garganta e nuca castanhas, barriga com faixa vermelha alargada dos lados.


Araçari-de-Bico-Branco 



O Araçari-de-bico-branco (Pteroglossus aracari) é uma espécie de ave sul-americana da família Ramphastidae. Tais animais medem cerca de 43 cm de comprimento, com um grande bico negro na mandíbula e branco na maxila, barriga com estreita cinta avermelhada. São chamados popularmente de araçari-da-mata, araçari-de-minhoca, araçari-minhoca, camisa-de-meia, culico e tucano-de-cinta.


Ficheiro:Black-necked aracari.jpg

Araçari-da-Montanha
(Pteroglossus Torquatus)


Ficheiro:Pteroglossus torquatus -Macaw Mountain Bird Park -8b.jpg

Araçari
(Pteroglossus Erythropygius)

Ficheiro:Pteroglossus erythropygius -Dallas World Aquarium, USA-8a.jpg

Araçari-de-Cinta-Dupla



Araçari-de-cinta-dupla (Pteroglossus pluricinctus) é uma espécie de ave da família Ramphastidae. É semelhante ao Araçari-de-bico-branco (Pteroglossus aracari), mas com duas cintas, uma peitoral negra e estreita, e outra ventral rubro-negra e larga.

Ocorre no alto Amazonas, do alto Rio Negro à Venezuela e Peru, e também no sul do Pará (foi coletado um exemplar na Serra do Cachimbo em junho de 1956). Pode ser considerado substituto geográfico do Araçari-de-bico-branco. Localmente simpátrico com o Araçari-castanho (Pteroglossus castanotis).


Ficheiro:Pteroglossus castanotis Iguazu.jpg

Araçari-Mulato 



O araçari-mulato (Pteroglossus beauharnaesii) é uma espécie de ave amazônica da família Ramphastidae. Mede cerca de 42 cm de comprimento e cabeça com penas endurecidas e enroladas. Também é conhecido por araçari-arrepiado e araçari-crespo.

Ficheiro:Curl-crested Aracari.jpg

Araçari-Banana



O araçari-banana (Pteroglossus bailloni) é uma espécie de ave da família Ramphastidae. Pode ser encontrada nas regiões montanhosas da Argentina, do Paraguai e dos estados brasileiros da região Sul e Sudeste. Possuem plumagem amarelada e bico oliváceo com a base vermelha. São conhecidas ainda pelos nomes de araçari-branco.Pássaro que da nome a cidade do interior de São Paulo Araçariguama.



Araçari-Negro 



O araçari-negro (Selenidera culik) é uma espécie de ave amazônica da família Ramphastidae. Tais aves medem cerca de 33 cm de comprimento, contando com uma plumagem negra, grande bico, também negro de base encarnada e região perioftálmica azul-reluzente. São conhecidas ainda pelos nomes de araçari-preto e saripoca-culique.


Ficheiro:Guianan Toucanet -Dallas World Aquarium-male-8a.jpg

Araçari-Poca



É uma ave de pequeno porte, medindo 33 cm de comprimento e pesando aproximadamente 170 gramas. Apresenta acentuado dimorfismo sexual. O macho possui cabeça, garganta e peito pretos, os quais são marrons na fêmea. O bico apresenta manchas bastante visíveis.

Vive na copa de florestas úmidas, em seu interior e nas bordas, basicamente na Mata Atlântica. Demonstra preferência pelos estratos baixos e médios da vegetação. Registrado até 1000 metros de altitude.
Nativo da América do Sul ocorre desde a Bahia, passando por Minas Gerais e descendo até o Rio Grande do Sul, região nordeste da Argentina (Misiones) e leste do Paraguai.
É uma ave que vocaliza ao alvorecer ou de madrugada. Costuma-se dizer que quando os araçaris estão batendo o bico e promovendo algazarra é sinal de que o tempo vai virar. Como os demais araçaris, vários indivíduos costumam dormir juntos em um mesmo buraco de árvore. Pode passar despercebido ao contrário dos outros araçaris. Costuma beber e tomar banho nas bromélias no alto das árvores que ficam cheias de água da chuva.
Alimenta-se de frutos (como os das figueiras, palmitos, goiabas, embaúba e coquinhos de palmeiras), brotos e insetos. Eventualmente come filhotes de outras aves.
Costuma fazer seu ninho sempre no oco das árvores ou de um toco, onde a fêmea deposita de 2 a 4 ovos. O período de incubação dura mais ou menos 16 dias e é realizado tanto pela fêmea quanto pelo macho.
Sua vocalização é seqüência de coaxos baixos, profundos e guturais, que poderiam ser confundidos com o canto de um sapo grande.

Ficheiro:Selenidera maculirostris - male.jpg

Pica-Paus



O pica-pau é uma ave da ordem Piciformes, família Picidae, de tamanho pequeno a médio com penas coloridas e na maioria dos machos com uma crista vermelha. Vivem em bosques onde fazem seus ninhos abrindo uma cavidade nos troncos das árvores. Alimentam-se principalmente de larvas de insetos que estão dentro dos troncos de árvores, alargando a cavidade onde se encontram as larvas com seu poderoso bico e introduzindo sua língua longa e umedecida pelas glândulas salivares. Os ninhos são escavados em troncos de árvores o mais alto possível para proteção contra predadores. Os ovos, de 4 a 5, são chocados pela fêmea e também pelo macho durante até 20 dias, dependendo da espécie.


Pica-Pau-de-Barriga-Vermelha

O bendito ou pica-pau-de-barriga-vermelha (Melanerpes cruentatus) é um pica-pau florestal e amazônico. Os indivíduos machos de tal ave possuem cabeça, peito e manto negros, vértice vermelho, enquanto a sobrancelha amarela que pode atingir a nuca, ventre vermelho e flancos estriados de branco e negro são características presentes em ambos os sexos. Também é conhecida pelo nome de ipecumirim, sua dieta se baseia em grãos e pequenos insetos, um dos grandes contribuidores para o reflorestamento da Mata atlântica e Floresta amazônica.

Ficheiro:Pica-pau-barriga-vermelha.jpg

Pica-Pau-Branco

O pica-pau-branco (Melanerpes candidus) é um pica-pau campestre, presente em quase todo o Brasil, Bolívia, Argentina, Paraguai e Uruguai. Tal pica-pau possui a cabeça e partes inferiores brancas, asas e cauda negras, e ventre amarelado. Também é conhecido pelos nomes de bilro, birro, birro-branco e cricri.

Ficheiro:Melanerpes candidus.jpg

Pica-Pau-Malhado

O pica-pau-malhado-grande (Dendrocopos major) é um membro da família dos pica-paus (Picidae).

Tem a sua distribuição na Europa e norte da Ásia. É residente, com excepção das regiões mais frias da sua área de distribuição.
No Verão, a sua alimentação consiste de larvas de traças e escaravelhos que habitam o interior da madeira das árvores da floresta.

Ficheiro:Dendrocopos major 2 (Marek Szczepanek).jpg

Pica-Pau-do-Campo


O pica-pau-do-campo (Colaptes campestris) é um grande pica-pau sul-americano, campestre e terrícola.
Tal ave mede cerca de 32 cm de comprimento, com costas e asas marrons listradas de branco, peito e laterais do pescoço amarelos, boné preto e garganta preta ou branca, de acordo com a raça geográfica. Também é conhecido pelos nomes de chanchã, chanchão, pica-pau-de-manga e pica-pau-malhado.
Habita zonas de pastagens, savanas e matagal e pode ser encontrado na Argentina, Bolívia, Brasil, Paraguai, Suriname e Uruguai.

Ficheiro:Colaptes campestris-2.jpg

Pica-Pau-Carijó

O Pica-pau-carijó (Colaptes melanochloros) é um grande pica-pau da América do Sul. Tais aves possuem cerca de 26 cm de comprimento, com plumagem verde barrada de preto e cabeça preta com as laterais brancas e a nuca vermelha. Também são chamadas de pica-pau-verde-barrado.

Ficheiro:PICA-PAU-VERDE-BARRADO (Colaptes melanochloros).jpg

Pica-Pau-de-Cabeça-Amarela

O pica-pau-de-cabeça-amarela (Celeus flavescens) é uma ave ave piciforme pertencente à família Picidae.
Mede em média 27 cm. Está presente desde a margem norte do baixo Rio Amazonas até o Rio Grande do Sul, sendo encontrado também no Paraguai e Argentina. Habitam bordas de florestas altas, florestas de galeria e pomares. Alimenta-se de frutos no alto das árvores, descendo ao solo para comer formigas e cupins. O macho apresenta uma faixa vermelha nas laterais da cabeça, próximo a base do bico.
Seus outros nomes comuns são joão-velho, cabeça-de-velho e pica-pau-velho. No Rio Grande do Sul também é chamado de bico-chã-chã.

Ficheiro:Blond-crested Woodpecker.jpg

Pica-Pau-Amarelo

O Pica-pau-amarelo (Celeus flavus) é uma ave da família Picidae comprimento de cerca de 25 cm. Presente em toda a Amazônia brasileira e de Alagoas ao Espírito Santo, sendo encontrados também nos demais países amazônicos. Habita florestas ralas, plantações de cacau, florestas de várzea, capoeiras e florestas em áreas pantanosas. Vive solitário, aos pares ou em grupos de 3 ou 4, principalmente à altura do estrato médio. Quebram formigueiros no alto de árvores para comer as formigas, eventualmente alimentando-se também de frutos. Às vezes desce ao solo para apanhar insetos. O macho apresenta uma faixa vermelha nas laterais da cabeça, próximo à base do bico.


Pica-Pau-Rei

O pica-pau-rei (Campephilus robustus) é um pica-pau florestal, encontrado no Paraguai, Argentina e Brasil, do estado de Goiás e Bahia até o Rio Grande do Sul, sendo o maior pica-pau brasileiro. Tal ave mede cerca de 36 cm de comprimento, cabeça e pescoço vermelhos, asas e cauda negras e partes inferiores barradas. Também é conhecido pelos nomes de carpinteiro, pica-pau-de-cabeça-vermelha, pica-pau-galo, pica-pau-grande e pica-pau-soldado.

Ficheiro:Campephilus robustus -Argentina-3.jpg


Pica-Pau-de-Banda-Branca

O Pica-pau-de-banda-branca (Dryocopus lineatus) é um grande pica-pau encontrado do México à Argentina. Tal ave mede cerca de 33 cm de comprimento, com topete e estria malar vermelhos, asas e lados da cabeça pretos, faixa branca que se estende do bico às laterais do peito e barriga branca barrada de preto. Também é conhecida pelo nome de ipecuacamirá. Vive em pares ou em grupos familiares, com o macho e a fêmea tamborilando em seqüência longa e baixa. As fêmeas desta espécie de pica-pau põem em média de 2 a 3 ovos, e o macho participa dos cuidados com a prole.

Ficheiro:Dryocopus lineatus.jpg

Pica-Pau-de-Topete-Vermelho

O Pica-pau-de-topete-vermelho (Campephilus melanoleucos) é um grande pica-pau da ordem Piciforme e da família Picidae. Conhecido também como Pica-pau-de-garganta-preta. Encontra-se desde o sul do Panamá até o norte da Argentina e em Trinidad.
É um pica-pau grande e tem aproximadamente 36 cm de comprimento e 250 gramas. O macho possui a cabeça avermelhada, com uma mancha branca na base do bico e a fêmea apresenta o alto e a parte de trás da cabeça preta e uma larga faixa branca entre os olhos e a base do bico.
Alimentam-se de larvas de insetos que vivem escondidos atrás de cascas de árvores mortas. Também comem frutos.

Ficheiro:Crimson-crestewoodpecker.jpg

Pica-Pau-Anão
(Picumnus innominatus)

O  pica-pau-anão é comum aos pequenos pica-paus do gênero Picumnus. Tais aves têm o comprimento do corpo variando entre 7 cm e 10 cm, bico curto, com pés muito grandes e cauda macia. Também são chamadas de picapauzinhos.



Pica-Pau-Dourado

O pica-pau-dourado (Piculus aurulentus) é um pica-pau florestal, encontrado no leste e sul do Brasil, bem como na Argentina e Paraguai. Tal ave mede cerca de 20 cm de comprimento, com dorso oliváceo, rêmiges barradas de castanho, cabeça com as laterais oliváceas, atravessadas por duas faixas amarelas horizontais e vértice vermelho. Também é conhecida pelo nome de pica-pau-doirado.


Pica-Pau-Fura-Laranja

O pica-pau-fura-laranja (Veniliornis affinis) é um pequeno pica-pau, encontrado na Amazônia e Leste do Brasil, especialmente nos estados da Bahia e do Espírito Santo. Tal ave mede cerca de 16,5 cm de comprimento e plumagem olivácea, com o manto, manchas nas asas e vértice vermelhos. Devido ao fato de eventualmente freqüentar pomares e se alimentar dos frutos, recebeu o nome de fura-laranjas.


Pica-Pau-Verde

O pica-pau-verde (Picus viridis) é uma ave da família Picidae. É o maior dos três pica-paus que ocorrem em Portugal. Caracteriza-se pela plumagem verde e amarelada, com o barrete vermelho.
Distribui-se por quase toda a Europa e pela Ásia Menor. Constrói o seu ninho em cavidades de árvores.
Em Portugal é uma espécie residente, que está presente durante todo o ano. Freqüenta zonas florestais, nomeadamente pinhais, de preferência com algumas clareiras.

Ficheiro:Grünspecht Picus viridis.jpg

Benedito-de-Testa-Amarela


O benedito-de-testa-amarela ou pica-pau-de-testa-amarela (Melanerpes flavifrons) é uma espécie de pica-pau florestal encontrado na Argentina, Brasil e Paraguai. Possui uma dieta quase que exclusivamente frutívora.
O benedito-de-testa-amarela assim como o benedito-de-barriga-vermelha (Melanerpes cruentatus) costuma viver em bandos e construir seus ninhos muito próximos formando uma comunidade. Gosta de aparecer, com suas cores vistosas e muito barulho. Voa de copa em copa gritando 'benedito', o que explica seu nome. Mede em torno de 19,5 cm.

Ficheiro:Melanerpes flavifrons.jpg


Pica-Pau-de-Bico-de-Marfim

O Pica-pau-bico-de-marfim é a espécie do personagem de desenho animado Pica-Pau. No episódio "Dumb Like a Fox" ("Esperto contra Sabido", na versão brasileira), do desenho animado Woody Woodpecker, um museu oferece a recompensa de 25 dólares para quem capturar um "Campephilus principalis", o qual é o próprio Pica-Pau.

4 comentários:

Anônimo disse...

muito bom o site, consegui imprimir fotos de um animal muito bonito,para o meu trabalho*-* .Obrigada s2

Anônimo disse...

siiite tri legal , muuuuito mara ! obrigado,me ajudaram DEMAIS. 'grata

Asaph disse...

Obrigado por gostarem xD .. qualquer dúvida ou sugestão pode mandar!!

Dr. Gilnei Fróes disse...

Parabéns! Um ótimo trabalho de resgate da memória de nossas aves e pássaros. Continue nossa luta!

Veja e divulgue nosso site: www.ibfecoglobal.org

Abração.
Dr. Gilnei Fróes
Instituto Bering Fróes Eco Global