Postagens

Pesquisar este blog

07 maio, 2011

Aves Coraciiformes

Aves Coraciiformes


Coraciiformes é uma ordem de aves de médio a grande porte com onze famílias oriundas, sobretudo da África e da Europa.
As aves coraciformes têm em geral um bico robusto e colorido, geralmente vermelho ou amarelo. As pernas são curtas e terminam em patas pequenas mas fortes, total ou parcialmente sindáctilas. A plumagem é bastante variável de acordo com a família, assim como a presença ou ausência de dimorfismo sexual. As asas arredondadas e curtas são especialmente adaptados ao vôo curto. A cauda varia entre dimensões médias a muito grandes. Os coraciformes são aves geralmente arborícolas que preferem climas tropicais.
A maioria das espécies constrói ninhos rudimentares em buracos encontrados em rochas, árvores ou no solo. As posturas variam de acordo com a espécie entre 3 a 6 ovos incubados normalmente pela fêmea. Em todas as espécies de coraciformes é o casal que presta os cuidados parentais às crias.


Rolieiro

O rolieiro (Coracias garrulus) é um pássaro europeu da família dos coracídeos.
Ave migratória passa o verão na Europa, da Península Ibérica à Turquia. Prefere regiões quentes, arborizadas e ensolaradas. No inverno, migra para o sul do Saara.
O rolieiro tem a cabeça e o ventre azuis-esverdeados contrastando com o dorso castanho-avermelhado. As asas estendidas medem de 52 a 58 cm e são negras. O corpo mede cerca de 30 a 32 cm de comprimento.
Os rolieiros se alimentam de pequenos vertebrados e artrópodes, entre os quais se destacam escorpiões, besouros e gafanhotos.

Rolieiro-Comum

Ficheiro:Coracias caudata (atamari).jpg

Rolieiro-Europeu

Ficheiro:European roller.jpg

Ficheiro:Blauracke 060319 1.jpg

Brachypteracias Leptosomus

Brachypteracias leptosomus é uma espécie de ave da família Brachypteraciidae.
É endêmica de Madagáscar.
Os seus habitats naturais são: florestas subtropicais ou tropicais úmidas de baixa altitude.
Está ameaçada por perda de habitat.



Ficheiro:Rollier Terrestre à courte queue.JPG

Leptomus Discolor

Leptosomus discolor é uma espécie de ave coraciforme que habita as florestas de Madagáscar e das ilhas Comores. É uma espécie de dimensões médias e uma alimentação à base de insetos. Ao contrário dos restantes coraciformes, o Leptosomus discolor apresenta dimorfismo sexual: os machos têm a plumagem cinzenta-aveludada, com as costas, asas e cauda verde-escuro; as fêmeas e juvenis são castanho-pardo.
Leptosomus discolor é a única espécie no gênero Leptosomus e da família Leptosomatidae.

Ficheiro:Leptosomusdiscolorcrop.jpg

Udu-de-Coroa-Azul

O udu-de-coroa-azul, Momotus momota, é um pássaro que reside e procria nas selvas tropicais do México, da América Central, da América do Sul e nas ilhas de Trinidad e Tobago.
Este udu é uma grande ave tropical com parentesco ligando-a a outras famílias coloridas, como os abelheiros e os rolieiros. Assim como a maioria dos demais coraciformes, os udus fazem ninhos em túneis em bancos de areia, colocando três ou quatro ovos brancos.
O udu-de-coroa-azul pode variar entre 41 e 46 cm. A subespécie M. m. momota pesa 145 gramas. A cauda é muito longa com uma ponta exposta em forma de raquete. As partes superiores da ave são verdes, tornando-se azuis na cauda inferior, e as partes de baixo são verdes ou possuem coloração ferruginosa, dependendo da subespécie.
A cabeça possui uma coroa negra, circundada por uma faixa roxa e azul. Há uma máscara negra, e a nuca do animal é castanha. O seu chamado assemelha-se ao som de uma coruja.
Estes pássaros com freqüência permanecem quietos, e podem ser difíceis de se ver em seu denso habitat florestal, apesar de seu tamanho. No entanto, não temem o homem, e por vezes pousam em varais de roupas ou itens semelhantes em casas próximas às matas.
Eles se alimentam, geralmente, de insetos e lagartos, e comem frutas com freqüência.

Ficheiro:Blue-crowned Motmot back 2.jpg

Juruva-Verde

A juruva-verde (Baryphthengus ruficapillus) é uma ave nativa da Argentina, Brasil e Paraguai. Tais aves medem cerca de 42 cm de comprimento, possuindo dorso verde e peito esverdeado com pequenas manchas negras. Também são conhecidas pelos nomes de formigão, jacu-taquara, pururu, siriú e siriúva.


Udu-de-Bico-Largo

O udu-de-bico-largo (Electron platyrhynchum) é uma espécie de ave da família Momotidae.
Pode ser encontrada nos seguintes países: Bolívia, Brasil, Colômbia, Costa Rica, Equador, Honduras, Nicarágua, Panamá e Peru.
Os seus habitats naturais são: florestas subtropicais ou tropicais úmidas de baixa altitude e florestas secundárias altamente degradadas.

Ficheiro:Electron platyrhynchum -Panama-8a.jpg

Guarda-Rios

Guarda-rios, martim-pescador ou pica-peixe são os nomes comuns dados às aves coraciformes pertencentes às famílias Alcedinidae, Halcyonidae e Cerylidae. No total, o grupo inclui 91 espécies, classificadas em 18 gêneros. O grupo está presente em todos os continentes, exceto nas regiões polares e na maioria das ilhas oceânicas.Também vivem em manguezais. A maior diversidade encontra-se nas zonas de clima tropical, em particular na Oceania, enquanto que nas Américas ocorrem apenas seis espécies da família Cerylidae. O grupo habita zonas florestadas, preferencialmente junto de rios ou lagos.
Os guarda-rios são aves de pequeno a médio porte (10 a 46 cm de comprimento), de plumagem colorida e pescoço curto, com cabeça relativamente grande em relação ao corpo e um bico longo e robusto. As asas são arredondadas e a cauda é curta na maioria das espécies. As patas são pequenas e sindáctilas com os dedos frontais fundidos. No adulto, o bico e as patas são bastante coloridos, normalmente em tons de encarnado, laranja ou amarelo. A plumagem é exuberante com freqüência de cores azuis ou verdes. A forma do bico varia consoante o tipo de alimentação, sendo achatada lateralmente nas espécies piscícolas ou dorso-ventralmente nas insetívoras. Os guarda-rios que se alimentam no solo à base de frutos têm o bico bastante mais curto. A maioria das espécies não apresenta dimorfismo sexual. Os juvenis são semelhantes aos adultos e distinguem-se pela plumagem menos colorida.

Ficheiro:Common Kingfisher I IMG 8014.jpg

Martim-Pescador-Grande

Ficheiro:MARTIM-PESCADOR-GRANDE (Megaceryle torquata).jpg

Martim-Pescador-Verde

Ficheiro:Chloroceryle amazona - male.jpg

Martim-Pescador-Pequeno

Ficheiro:Chloroceryle americana - male.jpg

Martim-Pescador-da-Mata

Ficheiro:Chloroceryle inda -Madidi National Park -Bolivia-8a-4c.jpg

Martim-Pescador-Anão



O Martim-pescador-anão (Chloroceryle aenea) é uma ave coraciiforme da família dos cerilídeos que habita do México à Bolívia, bem como o Brasil. Tais aves medem cerca de 12,5 cm de comprimento, com as partes superiores verdes e inferiores ferrugíneas e branco no centro da barriga. Também são conhecidas pelos nomes de arirambinha, ariramba-miudinha, ariramba-miudinho.

Ficheiro:Chloroceryle-aenea-001.jpg

Kookaburra

Kookaburra (Dacelo spp.) é uma ave coraciforme da família dos guarda-rios, endémica da Austrália, Nova Guiné e ilhas do estreito de Torres. Actualmente existem o gênero Dacelo contém duas espécies: a kookaburra-risonha (D. novaeguineae) que vive na Austrália oriental, norte da Tasmânia e sudoreste da Austrália Ocidental e a kookaburra-azul (D. leachii), que habita o norte da Austrália. Estas aves têm preferência por áreas florestadas abertas, zonas agrícolas e circundantes a rios, até mesmo parques e jardins localizados em cidades.
As kookaburras são os maiores representantes da família Alcedinidae com cerca de 40 a 47 cm de comprimento, sendo a kookaburra-risonha um pouco maior. A cabeça é relativamente grande e termina num bico espesso e robusto, típico dos guarda-rios. A plumagem é castanha, com riscas brancas na cabeça (kookaburra-risonha) e cauda avermelhada. A kookaburra-azul tem manchas azuis nas asas e cauda azul. O grupo apresenta algum dimorfismo sexual, sendo as fêmeas ligeiramente maiores mas menos coloridas.
As kookaburras são aves gregárias e territoriais que vivem em pequenos grupos familiares compostos por um casal monogâmico e crias de ninhadas anteriores, que ajudam a criar os irmãos. As aves do bando comunicam entre si com freqüência, através de vocalizações ruidosas que fazem lembrar gargalhadas. O casal defende o seu território com agressividade de outros membros da sua espécie e aves em geral. A alimentação é feita à base de qualquer animal pequeno o suficiente para ser apanhado, incluindo peixes, insetos, pequenos anfíbios, lagartos e até cobras.
Na época de reprodução, o casal constrói um ninho em geral num tronco de árvore, onde são colocados 2 a 4 ovos de cor branca incubados ao longo de 24 dias. Os juvenis nascem cegos, sem penas e totalmente dependentes dos cuidados dos progenitores e grupo familiar durante cerca de 13 semanas. Ao fim deste período, os juvenis passam a alimentar-se sozinhos mas permanecem no território dos pais durante duas ou três épocas de reprodução. As kookaburras podem viver até aos vinte anos.

Ficheiro:Kooklookatme.JPG

Abelharucos

Meropidae é uma família de aves coraciiformes que inclui os abelharucos, também conhecidos como melharuco, abelheiro, abelhuco,alrute, barranqueiro, milheirós e pita-barranqueira. O grupo inclui cerca de 26 espécies, classificadas em dois gêneros. Os abelharucos distribuem-se pela Europa, África e Madagascar, sul da Ásia e Austrália. Em Portugal, são abundantes na zona do Alto Alentejo, nas zonas de montado. São aves migratórias que vivem a maior parte do ano em latitudes elevadas, migrando para zonas tropicais e subtropicais na época de reprodução.
Os abelharucos são aves de pequeno a médio porte, com bico longo, comprimido lateralmente e um pouco curvado. A cauda é bem marcada e geralmente arredondada. A plumagem dos abelharucos é colorida, em tons de verde vivo com manchas de outras cores na zona da garganta, barriga e/ou dorso. Não há dimorfismo sexual notório.
Os abelharucos têm uma alimentação baseada em insetos, principalmente abelhas e vespas, como o seu próprio nome comum do grupo indica. As presas são caçadas em vôo e antes de ingerir a sua refeição, o abelharuco retira o ferrão do inseto esmagando-o contra uma superfície dura.
O grupo tem hábitos gregários e forma geralmente colônias, embora algumas espécies vivam isoladas ou em casais. Os ninhos são escavados em margens de rios, ou reciclados de tocas de outros animais. As posturas contêm entre 2 a 6 ovos brancos e os juvenis recebem os cuidados parentais de ambos os progenitores.

Abelharuco-de-Garganta-Vermelha

Ficheiro:Merops persicus.jpg

Abelharuco-de-Garganta-Branca

Ficheiro:Stavenn Merops albicollis 00.jpg

Abelharuco-Comum

Ficheiro:European bee eater.jpg

Abelharuco-Africano

Ficheiro:Merops bullockoides 1 Luc Viatour.jpg

Abelharuco-Andorinha

Ficheiro:Swallowtailed bee-eater.jpg

Abelharuco-Preto


Abelharuco-de-Böhm

Ficheiro:Merops boehmi (atamari).jpg

Abelharuco-Verde-e-Vermelho

Ficheiro:Redthroatedbeeeater1.jpg

Abelharuco-de-Peito-Azul

Ficheiro:Blue-breasted Bee-eater (Merops variegatus) RWD.jpg

Abelharuco-de-Peito-Marrom

Ficheiro:Cinnamon-chested bee-eater.jpg

Abelharuco-de-Garganta-Azul


Abelharudo-Rosado

Nenhum comentário: